O comprimido azul da Dacia chama-se Lodgy Stepway e com ele… Venha uma palete de filhos! Até 5 filhos… vá… 6, se a mãe tiver coisas combinadas. Com um rácio aproximado de 2.700 euros por lugar a bordo, o Lodgy é o líder da economia no que toca a metro quadrado de mono-volume aventureiro.

Com um design que pode não agradar a todos, o que é facto é que o Lodgy não passa despercebido com os seus 4 metros e meio de azul! No exterior, esta versão Stepway conta com aplicações típicas de um Crossover, mas na realidade, não devemos contar com ele fora de estrada, seja pela pouca distância ao solo ou por pneus pouco robustos para suportar pedras e buracos maiores.
No interior, é onde mais se destaca a poupança a nível de acabamentos, tipicamente Dacia. Plásticos rijos, bancos com pouca espuma e pouca insonorização do motor. Mas como isso já não é surpresa na marca Romena, concentremos-nos em pontos positivos.

É modular. E muito! Os bancos da 2ª fila são totalmente rebatíveis e podem encostar aos bancos da frente. Os da 3ª fila podem ser removidos. Nesta configuração conseguimos quase 2 mil litros de capacidade na bagageira, todavia, com todos os bancos colocados no seu lugar este valor é reduzido para 10%, ou seja, pouco mais de 200 Litros. No posto de condução o banco tem pouca regulação e rudimentar do ponto de vista da ergonomia. Viagens longas e visitas ao osteopata, serão uma combinação bastante provável para o condutor.
A nível de ‘luxos’, contamos com um aceitável sistema multimédia da LG com radio, ligação Bluetooth para o telefone e navegação. Pena que o ecrã, embora generoso, peque por uma colocação demasiado baixa, obrigando a retirar os olhos da estrada para vermos o quer que seja.

Outras comodidades bem vindas são o ‘cruise control’ e sensores de parqueamento traseiros, que dão muito jeito face ao comprimento do Lodgy. A versão ensaiada conta ainda com um sempre jeitoso encosto de braço central mas, com ele deixamos de conseguir aceder convenientemente ao travão de mão e, operar o selector de velocidades, só mesmo com as pontas dos dedos.

Para puxar a família a bordo do Lodgy contamos com um saudável motor Renault Diesel de 1500 cm3 de cilindrada e 110 cv de potência. Apesar de não ser o motor mais silencioso do mundo cumpre muito bem a sua tarefa e não tem grandes perdas de potência ao longo da faixa de utilização.
Com uma caixa de 6 velocidades bem escalonada, os consumos ficam facilmente abaixo dos 6 l/100 km e, com algum cuidado, até mesmo abaixo dos 5 l/100 km.

Com suspensão macia e confortável, o Lodgy é competente no que toca a disfarçar as imperfeições da estrada, apesar de isso não o tornar mole ou desajeitado no que toca a dinamismo. Contudo, o seu controlo de estabilidade é demasiado intrusivo e faz com que, em curvas mais apertadas e na eminência de perder aderência, o sistema actue violentamente travando e sacudindo o Lodgy, garantindo uns valentes calafrios!

Com o preço da versão ensaiada a rondar os 19 mil euros, o Lodgy está bem equipado e toda a concorrência está a cerca de 10 mil euros de ‘distância’.

Perante tudo isto, e apesar de todos os defeitos (e são alguns), o Lodgy Stepway tem muita personalidade e carisma. Não sendo uma carrinha pretensiosa, encanta pela sua simplicidade e praticabilidade, baixos consumos, modularidade interior e design discutível. É um patinho feio que nos encanta pela sua humildade e competência!
Texto e fotos: Hugo Marcos